domingo, 16 de setembro de 2012

Passado, presente e futuro


Nossa, como eu já mudei de ideia hoje. Sobre pintar ou não o cabelo, riscar alguns textos e até mesmo apagar algumas musicas. E desisti de tudo, ao lembrar como sou enjoada com mudanças. Também lembrei o quanto mudei nesse ano. Irônico, não? Depois de um tempo eu me acostumo e passa de mudanças a algo que eu não imagino diferente. Mas como esse tempo ta demorando pra chegar, peguei um dos meus cadernos, que eu chamo de diário, mesmo tendo quase 17.

Abro a primeira pagina. Está em branco. Tinha separado para escrever alguma musica que na época fazia todo o sentido e que agora eu nem lembro da melodia. Primeiro dia: 13. O mês não importa. Borboletas, filmes, provocações. Escrevi ouvindo Somewhere Only We Know. Combinava totalmente com o assunto.

Próximo!

Parecia uma criança de novo, quase acreditando em papai noel. Principalmente na ansiedade de ganhar logo o presente. Depois teve uma sensação ruim, mas nada que não fosse resolvido no fim do dia. Ai melhorou, dia após dia. Varias carinhas felizes, varias letras de musica e desenhos toscos, já que eu não herdei a habilidade da minha mãe. Sempre tinha uma baixa em algum dia da semana, mas essa minha mania de ser otimista sempre ganhava. Sonhos bons, sonhos que eu lembro, mas não escrevi, e mais letras de musica. Falando em musica, também teve o meu desespero com a musica de abertura do Arquivo X. Nunca fui fã, diferente de todos aqui em casa e na época que eu ainda dormia no quarto dos meus pais eles assistiam toda noite. Ter imaginação boa e dormir olhando para debaixo da cama não é o melhor jeito de afastar um medo. Foco Nicole!

Chocolate, Kurt Cobain e mais alguns pensamentos aleatórios. Textos mais curtos, pausados até que cheguei a cinco dias sem escrever.

Não lembrava do assunto, por isso não me assustei ao ver o tanto que tinha escrito. Mas eu não estava explicando o que tinha acontecido durante a semana, nem tinha colocado trechos de musica ou desenhado minhas borboletas tortas. A frase que explica bem o que eu li: Sim, essa semana não foi boa para mim, nem um pouco.

Depois veio a raiva. De ter cortado as unhas, da rinite ter atacado, de stalkear. Engraçado ver que alguns pensamentos ainda são os mesmos.

Então eu sai daquela rotina de ver o mundo ao extremo bom ou extremo ruim. Parei de me preocupar com o que tinha acontecido. Bom, não totalmente. Volta e meia tinha algum probleminha. Eu ainda estava fraca.
Aos poucos aquele assunto foi sumindo. Passei mais alguns dias sem escrever. Para voltar com um texto de bronca que eu sempre leio quando estou precisando cair na real. Sou ótima pra falar de mim na terceira pessoa.

Comecei a escrever com varias cores, mudar de vez os assuntos. Olha só, uma lista de nomes para o blog! Que ainda refletiam o que tinha acontecido. Adolescente com emoções desajustadas é um saco mesmo!

Folheio mais um pouco. Preocupações com notas, com pessoas que eu não sabia lidar e eu escrevendo cada vez mais tarde. Como agora, 02h33 em ponto.

Tô extremamente feliz hoje!  Dia? 10 de julho. (Sejam espertos e olhem os arquivos do blog)

Listas. Musica preferidas, melhores filmes, faculdades... Varios trechos de livros. Comecei a ler mais depois das férias. Uma das coisas que eu tinha esquecido durante o primeiro semestre.

E cheguei na ultima folha escrita. O rascunho de Gravidade. A ideia surgiu na segunda-feira, quando eu estava no ônibus. Digitei uma parte no celular, antes que esquecesse. Demorei dias até colocar tudo o que precisava dizer.

Parece meio sem sentido eu tentar falar sobre tudo que aconteceu comigo este ano. Principalmente não explicando tudo.  Mas falar sobre algumas coisas aqui me fez enxergar que tudo que eu vivi neste ano foi intenso. Me joguei em cada decisão, sem saber se o resultado seria bom ou ruim. E talvez seja isso que esta me fazendo ter a sensação que cresci mais este ano do que todos os outros que eu já vivi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário