sexta-feira, 28 de julho de 2017

O que eu faço com esse blog?

Quando criei esse blog, lá em 2012, nem imaginava o que ele se tornaria para mim. Era um modo de me expressar, assim como outros blogs que eu já tive nessa vida. Com certeza eu escrevia mais naquela época. Coisas bobinhas, mas que ainda representavam algo.

Com o passar do tempo, a mudança de rotina, o cansaço e outras desculpas que não cabem aqui, eu fui deixando a escrita de lado. Já não via sentido para relatar certas coisas.

Em uma época que o Instagram e o YouTube são o centro das redes sociais, nutrindo praticamente todas as necessidades de conteúdo, é até estranho alguém sentar e escrever. Não é prático, nem interessante. Mas ainda é o que eu gosto de fazer.

E é por isso que eu não deletei o blog até hoje. Mesmo com todas idas e vindas, eu sei que aqui posso falar quanto o meu coração precisar. Talvez não me identifique tanto com o nome que escolhi há 5 anos, mas ainda não é o suficiente para mudá-lo.

O blog vai continuar aí, com textos novos quando der na telha, e os antigos para quem quiser ler. Aliás, se é sua primeira vez aqui, leia Gravidade. Falam que mãe não deve escolher o filho preferido, mas dá pra burlar o ditado quando se trata de um filhote texto, né?

Nenhum comentário:

Postar um comentário